• banner bolsa de estudo
  • banner aprovação medicina
  • banner aprovados unicamp
  • banner aprovados

Gramaticando

  • Compartilhar
  • Oficina do Estudante no Facebook
  • Oficina do Estudante no Twitter
  • Imprimir Imprimir

Gramtica: tire suas dvidas sobre morfologia e sintaxe

27 de Junho de 2024

Entre os principais assuntos que podem ser cobrados nas provas de Interpretação de Texto e Gramática, dos maiores vestibulares do país, estão morfologia e sintaxe e, de quebra, as análises das palavras dentro das frases. Com ajuda da professora Liliane Negrão, que ensina essas disciplinas no Curso e Colégio Oficina do Estudante, vamos entender o que são e quais as diferenças entre esses temas.

O que é morfologia? Segundo Liliane, é a parte da Gramática que estuda as palavras de acordo com a classe gramatical a que ela pertence. “Temos dez classes gramaticais: substantivos, artigos, pronomes, verbos, adjetivos, conjunções, interjeições, preposições, advérbios e numerais.”

Já o estudo sintático diz respeito às relações que as palavras estabelecem no interior de uma frase, explica Liliane. A título de lembrança, algumas dessas relações possíveis são: sujeito, predicado, complementos verbais e nominais, dentre outros.

"Quando se trata da análise morfológica, é como se cada palavra ou expressão fosse considerada no que diz respeito à sua função originária no idioma: nomear, caracterizar, indicar ação? Como já lembrado, são dez funções diferentes que os vocábulos podem desempenhar na língua. Importante ressaltar que, a depender do contexto, essa função originária pode se modificar. No que diz respeito ao estudo sintático, a análise é realizada conforme a relação estabelecida de uma palavra com outras, em uma frase", explica a professora.

Como podem cair no vestibular esses dois temas?

Morfologia e sintaxe, habitualmente, são cobradas no vestibular através da identificação/reconhecimento desses mecanismos linguísticos ou como ferramentas que auxiliam na compreensão textual.

É comum o enunciado destacar um trecho textual (de um poema, de uma composição musical ou mesmo de uma obra literária) e reivindicar que o aluno assinale a alternativa que contempla a correta identificação das análises ali presentes.

E, para encerrar, Liliane disse que o candidato precisa dominar os dois tipos de análises (morfológica e sintática) e se lembrar, sempre, de que essas análises linguísticas (como quaisquer outras) estão submetidas ao contexto específico em que as palavras ou expressões estão inseridas.

Exemplo

Utilizando a frase “Crianças começaram o ano letivo nesta segunda-feira ensolarada.”:

- Análise morfológica:
Crianças: substantivo
e: conectivo
adolescentes: substantivo
começaram: verbo
o: artigo
ano: substantivo
letivo: adjetivo
nesta: junção de preposição “em” + pronome “esta”
segunda-feira: substantivo
ensolarada: adjetivo

- Análise sintática:
Crianças e adolescentes: sujeito
começaram o ano letivo nesta segunda-feira ensolarada: predicado
o ano letivo: complemento verbal do tipo objeto direto
nesta segunda-feira ensolarada: locução adverbial de tempo

Entre os principais assuntos que podem ser cobrados nas provas de Interpretação de Texto e Gramática, dos maiores vestibulares do país, estão morfologia e sintaxe e, de quebra, as análises das palavras dentro das frases. Com ajuda da professora Liliane Negrão, que ensina essas disciplinas no Curso e Colégio Oficina do Estudante, vamos entender o que são e quais as diferenças entre esses temas.

O que é morfologia? Segundo Liliane, é a parte da Gramática que estuda as palavras de acordo com a classe gramatical a que ela pertence. “Temos dez classes gramaticais: substantivos, artigos, pronomes, verbos, adjetivos, conjunções, interjeições, preposições, advérbios e numerais.”

Já o estudo sintático diz respeito às relações que as palavras estabelecem no interior de uma frase, explica Liliane. A título de lembrança, algumas dessas relações possíveis são: sujeito, predicado, complementos verbais e nominais, dentre outros.

"Quando se trata da análise morfológica, é como se cada palavra ou expressão fosse considerada no que diz respeito à sua função originária no idioma: nomear, caracterizar, indicar ação? Como já lembrado, são dez funções diferentes que os vocábulos podem desempenhar na língua. Importante ressaltar que, a depender do contexto, essa função originária pode se modificar. No que diz respeito ao estudo sintático, a análise é realizada conforme a relação estabelecida de uma palavra com outras, em uma frase", explica a professora.

Como podem cair no vestibular esses dois temas?

Morfologia e sintaxe, habitualmente, são cobradas no vestibular através da identificação/reconhecimento desses mecanismos linguísticos ou como ferramentas que auxiliam na compreensão textual.

É comum o enunciado destacar um trecho textual (de um poema, de uma composição musical ou mesmo de uma obra literária) e reivindicar que o aluno assinale a alternativa que contempla a correta identificação das análises ali presentes.

E, para encerrar, Liliane disse que o candidato precisa dominar os dois tipos de análises (morfológica e sintática) e se lembrar, sempre, de que essas análises linguísticas (como quaisquer outras) estão submetidas ao contexto específico em que as palavras ou expressões estão inseridas.

Exemplo

Utilizando a frase “Crianças começaram o ano letivo nesta segunda-feira ensolarada.”:

- Análise morfológica:
Crianças: substantivo
e: conectivo
adolescentes: substantivo
começaram: verbo
o: artigo
ano: substantivo
letivo: adjetivo
nesta: junção de preposição “em” + pronome “esta”
segunda-feira: substantivo
ensolarada: adjetivo

- Análise sintática:
Crianças e adolescentes: sujeito
começaram o ano letivo nesta segunda-feira ensolarada: predicado
o ano letivo: complemento verbal do tipo objeto direto
nesta segunda-feira ensolarada: locução adverbial de tempo