• banner bolsa de estudo
  • banner aprovação medicina
  • banner aprovados unicamp
  • banner aprovados

Atualidades

  • Compartilhar
  • Oficina do Estudante no Facebook
  • Oficina do Estudante no Twitter
  • Imprimir Imprimir

IBGE: Analfabetismo recua e atinge 11,4 milhes

17 de Maio de 2024

Por UOL Educação

O índice de analfabetismo recuou, mas há ainda 11,4 milhões de pessoas com 15 anos ou mais no Brasil que não sabem ler ou escrever um bilhete simples. Idosos, pretos e pardos e moradores do Nordeste são os mais afetados, diz o IBGE.

A taxa de analfabetismo no país caiu de 9,6% em 2010 para 7% em 2022. Isso significa que, nesse período, cerca de 2,5 milhões de pessoas de 15 anos ou mais deixaram de ser analfabetas — eram 13,9 milhões 12 anos antes. As informações integram o Censo 2022 e foram divulgadas pelo IBGE nesta sexta-feira (17).

É o menor índice registrado desde 1940, quando mais da metade da população (56%) não era alfabetizada. Após quatro décadas, em 1980, houve aumento de 30,5 pontos percentuais na taxa de alfabetização, passando para 74,5%. Finalmente, depois de mais 42 anos, o país atingiu um percentual de 93% em 2022 — um aumento de 18,5 pontos percentuais em relação a 1980.

Em 2022, havia 163 milhões de pessoas de 15 anos ou mais no Brasil, das quais 151,5 milhões sabiam ler e escrever. O IBGE informou que, neste momento, optou por divulgar as informações referentes a esse recorte etário por ser o mais utilizado, internacionalmente, para a aferição da taxa de alfabetização.

Por UOL Educação

O índice de analfabetismo recuou, mas há ainda 11,4 milhões de pessoas com 15 anos ou mais no Brasil que não sabem ler ou escrever um bilhete simples. Idosos, pretos e pardos e moradores do Nordeste são os mais afetados, diz o IBGE.

A taxa de analfabetismo no país caiu de 9,6% em 2010 para 7% em 2022. Isso significa que, nesse período, cerca de 2,5 milhões de pessoas de 15 anos ou mais deixaram de ser analfabetas — eram 13,9 milhões 12 anos antes. As informações integram o Censo 2022 e foram divulgadas pelo IBGE nesta sexta-feira (17).

É o menor índice registrado desde 1940, quando mais da metade da população (56%) não era alfabetizada. Após quatro décadas, em 1980, houve aumento de 30,5 pontos percentuais na taxa de alfabetização, passando para 74,5%. Finalmente, depois de mais 42 anos, o país atingiu um percentual de 93% em 2022 — um aumento de 18,5 pontos percentuais em relação a 1980.

Em 2022, havia 163 milhões de pessoas de 15 anos ou mais no Brasil, das quais 151,5 milhões sabiam ler e escrever. O IBGE informou que, neste momento, optou por divulgar as informações referentes a esse recorte etário por ser o mais utilizado, internacionalmente, para a aferição da taxa de alfabetização.