• banner bolsa de estudo
  • banner aprovação medicina
  • banner aprovados unicamp
  • banner aprovados

Tira Dúvidas

  • Compartilhar
  • Oficina do Estudante no Facebook
  • Oficina do Estudante no Twitter
  • Imprimir Imprimir

Café: Mitos e Verdades

07 de Julho de 2011

A planta de café é originária da Etiópia – África, onde ainda hoje faz parte da vegetação natural. A Arábia foi responsável pela propagação da cultura do café.

As duas espécies mais cultivadas do mundo são: Arábica, de gosto suave, aromático, redondo e achocolatado; e a Robusta, de sabor adstringente, amargo, porém, mais resistente às pragas e aos fatores climáticos.

A composição do café é bastante complexa, contém elementos energéticos, alguns sais minerais, vitaminas e alcalóides como a cafeína, porém, durante o processo de torrefação vários desses nutrientes são perdidos e em compensação a cafeína se concentra aumentando suas propriedades estimulantes. Pessoas que consomem muito café devem procurar reduzir a cafeína de outras fontes – por exemplo, limitar o consumo de chocolate e refrigerantes do tipo cola e chá preto . Mesmo que a ingestão moderada de cafeína seja inofensiva, a abstinência súbita pode causar dores de cabeça, irritação e outros sintomas isolados como a constipação.

A maioria das pessoas que consomem café diariamente desconhece as substâncias saudáveis e os seus efeitos terapêuticos:
- O consumo moderado de café (de três a quatro xícaras por dia) exerce efeito de prevenção de problemas tão diversos como o mal de Parkinson, a depressão, o diabetes, os cálculos biliares, o câncer de cólon e o consumo de drogas e álcool. Além disso melhora a atenção e, consequentemente, o desempenho escolar e a produtividade no trabalho.
- O café contém vitamina B, lipídios, aminoácidos, açúcares e uma grande variedade de minerais, como potássio e cálcio, além da cafeína.
- O café tem propriedades antioxidantes, combatendo os radicais livres e melhorando o desempenho na prática de esportes.
- Doenças como infarto, malformação fetal, câncer de mama, aborto, úlcera gástrica ou qualquer outro tipo de câncer não estão associadas ao consumo moderado de cafeína. Segundo alguns estudos, o seu consumo poderá mesmo baixar o risco de câncer da próstata.
- Melhora a taxa de oxigenação do sangue.
- A cafeína chega às células do corpo em menos de 20 minutos após a ingestão do café. No cérebro, a cafeína aumenta a influência do neurotransmissor dopamina.

Entre os malefícios causados pelo consumo excessivo de café podemos listar:
- Ação diurética compulsivo causadora de perda de minerais e oligoelementos, aminoácidos e vitaminas essenciais.
- Causa enfraquecimento do organismo através da perda de sódio, potássio, cálcio, zinco, magnésio, vitaminas A e C, bem como do complexo B.
- Possui relação direta com a doença fibroquística (eventualmente precursora do “câncer da mama”).
- Pode causar o aparecimento de polipos (primeiro estágio do câncer no aparelho digestivo), verrugas, psoríases e outras afecções dermatológicas.
- Reduz a taxa de oxigenação dos neurônios.
- Provoca uma maior secreção de ácido clorídrico, causando irritações nas mucosas intestinais que causam colites e ulcerações, principalmente para quem sofre de gastrite.
- Sua ação é acidificante do sangue, propiciando o surgimento de leucorreias, cistites, colibaciloses e variados acessos fúngicos.

Os grãos de café também possuem duas substâncias lipídicas kahweol e cafestol que podem elevar os níveis plasmáticos de colesterol e LDL-colesterol dependendo do modo do preparo do café. O simples ato de coar o café com filtro de papel descartável, remove uma parte significativa destas substâncias. O café turco ou expresso possuem quantidades mais relevantes de kahweol e cafestol devido à forma de preparo. E o coador de pano não possui capacidade total de retê-las como o filtro de papel.

Dicas de preparo:
- Café 100% arábica
- Grão moído recentemente ou na hora do preparo
- Usar água filtrada (sem cloro) sendo a temperatura ideal é entre 94º e 97º C, assim que entrar em ebulição.

Curiosidade:
A Finlândia é o maior consumidor de café per capita do mundo (12,7kg per capita); seguida pela Suécia (11,4kg per capita) e Dinamarca (10,4kg per capita).

Fonte: Blog do Prof°. Dino

www.oficinadoestudante.com.br


A planta de café é originária da Etiópia – África, onde ainda hoje faz parte da vegetação natural. A Arábia foi responsável pela propagação da cultura do café.

As duas espécies mais cultivadas do mundo são: Arábica, de gosto suave, aromático, redondo e achocolatado; e a Robusta, de sabor adstringente, amargo, porém, mais resistente às pragas e aos fatores climáticos.

A composição do café é bastante complexa, contém elementos energéticos, alguns sais minerais, vitaminas e alcalóides como a cafeína, porém, durante o processo de torrefação vários desses nutrientes são perdidos e em compensação a cafeína se concentra aumentando suas propriedades estimulantes. Pessoas que consomem muito café devem procurar reduzir a cafeína de outras fontes – por exemplo, limitar o consumo de chocolate e refrigerantes do tipo cola e chá preto . Mesmo que a ingestão moderada de cafeína seja inofensiva, a abstinência súbita pode causar dores de cabeça, irritação e outros sintomas isolados como a constipação.


A maioria das pessoas que consomem café diariamente desconhece as substâncias saudáveis e os seus efeitos terapêuticos:
- O consumo moderado de café (de três a quatro xícaras por dia) exerce efeito de prevenção de problemas tão diversos como o mal de Parkinson, a depressão, o diabetes, os cálculos biliares, o câncer de cólon e o consumo de drogas e álcool. Além disso melhora a atenção e, consequentemente, o desempenho escolar e a produtividade no trabalho.
- O café contém vitamina B, lipídios, aminoácidos, açúcares e uma grande variedade de minerais, como potássio e cálcio, além da cafeína.
- O café tem propriedades antioxidantes, combatendo os radicais livres e melhorando o desempenho na prática de esportes.
- Doenças como infarto, malformação fetal, câncer de mama, aborto, úlcera gástrica ou qualquer outro tipo de câncer não estão associadas ao consumo moderado de cafeína. Segundo alguns estudos, o seu consumo poderá mesmo baixar o risco de câncer da próstata.
- Melhora a taxa de oxigenação do sangue.
- A cafeína chega às células do corpo em menos de 20 minutos após a ingestão do café. No cérebro, a cafeína aumenta a influência do neurotransmissor dopamina.

Entre os malefícios causados pelo consumo excessivo de café podemos listar:
- Ação diurética compulsivo causadora de perda de minerais e oligoelementos, aminoácidos e vitaminas essenciais.
- Causa enfraquecimento do organismo através da perda de sódio, potássio, cálcio, zinco, magnésio, vitaminas A e C, bem como do complexo B.
- Possui relação direta com a doença fibroquística (eventualmente precursora do “câncer da mama”).
- Pode causar o aparecimento de polipos (primeiro estágio do câncer no aparelho digestivo), verrugas, psoríases e outras afecções dermatológicas.
- Reduz a taxa de oxigenação dos neurônios.
- Provoca uma maior secreção de ácido clorídrico, causando irritações nas mucosas intestinais que causam colites e ulcerações, principalmente para quem sofre de gastrite.
- Sua ação é acidificante do sangue, propiciando o surgimento de leucorreias, cistites, colibaciloses e variados acessos fúngicos.


Os grãos de café também possuem duas substâncias lipídicas kahweol e cafestol que podem elevar os níveis plasmáticos de colesterol e LDL-colesterol dependendo do modo do preparo do café. O simples ato de coar o café com filtro de papel descartável, remove uma parte significativa destas substâncias. O café turco ou expresso possuem quantidades mais relevantes de kahweol e cafestol devido à forma de preparo. E o coador de pano não possui capacidade total de retê-las como o filtro de papel.

Dicas de preparo:
- Café 100% arábica
- Grão moído recentemente ou na hora do preparo
- Usar água filtrada (sem cloro) sendo a temperatura ideal é entre 94º e 97º C, assim que entrar em ebulição.

Curiosidade:
A Finlândia é o maior consumidor de café per capita do mundo (12,7kg per capita); seguida pela Suécia (11,4kg per capita) e Dinamarca (10,4kg per capita).

Fonte: Blog do Prof°. Dino

www.oficinadoestudante.com.br

Conheça outras atividades

Saiba Mais