• banner bolsa de estudo
  • banner aprovação medicina
  • banner aprovados unicamp

Gramaticando

  • Compartilhar
  • Oficina do Estudante no Facebook
  • Oficina do Estudante no Twitter
  • Imprimir Imprimir

Aprenda de vez o plural de nomes compostos

20 de Setembro de 2019

Por Paulo Montoia
Guia do Estudante 

Os substantivos compostos podem ser formados por palavras de diferentes categorias gramaticais. É essa variedade que pode gerar dúvidas na hora de fazer a chamada “flexão de número”, ou seja, o plural. Aqui, pretendemos passar a limpo esses plurais, de forma que você possa consultar a matéria sempre que surgir uma dúvida. Para começar, há uma regra geral que ajuda e muito:

Norma geral: nos substantivos compostos vão para o plural apenas as palavras que forem substantivo ou adjetivo, inclusive ambos juntos. Os demais, de forma geral, não variam.

Exemplos:
– O guarda-chuva, os guarda-chuvas (verbo + substantivo).
– O abaixo-assinado, os abaixo-assinados (advérbio + adjetivo).
– O guarda-noturno, os guardas-noturnos (guarda aqui é substantivo + adjetivo).
– A má-formação, as más-formações. (adjetivo + substantivo).

Como desdobramento dessa regra geral, temos:

Se a palavra for composta por verbo + substantivo, só o substantivo vai para o plural. 
– O/A caça-fantasma, os/as caça-fantasmas.
– O beija-flor, os beija-flores.
– Um cachorro vira-lata, uns cães vira-latas.

E se o composto verbo + substantivo já for plural, faz-se a flexão apenas com o artigo que o antecede.

Exemplo:
– o/a caça-dotes, os/as caça-dotes.
– o saca-rolhas, os saca-rolhas.

Nos casos de substantivo + substantivo, ambos vão para o plural quando se deduz que há autonomia de significado em cada um.

Para descobrir se esse é o caso, é só verificar se, na expressão, caberia a conjunção “e” ligando-os. 
Exemplos:
– A couve-flor, as couves-flores (essa verdura é couve, e é flor).
– O cirurgião-dentista, os cirurgiões-dentistas (eles são cirurgiões e também são dentistas). E também Cirurgiã-dentista, cirurgiãs-dentistas.
– Meia-calça, meias-calças (são ambas as coisas).
– Redator-chefe, redatores-chefes.

Nos casos de substantivo + substantivo em que há relação de subordinação – ou seja, o primeiro elemento é determinante do segundo – , só vai para o plural a primeira palavra. 
– Bomba-relógio, bombas-relógio.
– Palavra-chave, palavras-chave.

Os casos de substantivo + substantivo ligados por preposição se enquadram na mesma definição anterior, em que o primeiro elemento é determinante do segundo.
Portanto, nesses casos, apenas o primeiro elemento flexiona para o plural.

– Pé de moleque, pés de moleque.
– Água-de-colônia, águas-de-colônia.

Substantivos compostos com sufixos: apenas o substantivo vai para o plural
Acreditamos que você não erraria esses, mas não custa anotar.

– Cursinho semi-intensivo, cursinhos semi-intensivos.
– Recém-nascido, recém-nascidos;
– Recém-formado, recém-formados.
– A seu bel-prazer, a seus bel-prazeres.

Há mais casos? Sim, mas são as raríssimas exceções. Você se sairá bem usando o bom-senso.
 


Por Paulo Montoia
Guia do Estudante 

Os substantivos compostos podem ser formados por palavras de diferentes categorias gramaticais. É essa variedade que pode gerar dúvidas na hora de fazer a chamada “flexão de número”, ou seja, o plural. Aqui, pretendemos passar a limpo esses plurais, de forma que você possa consultar a matéria sempre que surgir uma dúvida. Para começar, há uma regra geral que ajuda e muito:

Norma geral: nos substantivos compostos vão para o plural apenas as palavras que forem substantivo ou adjetivo, inclusive ambos juntos. Os demais, de forma geral, não variam.

Exemplos:
– O guarda-chuva, os guarda-chuvas (verbo + substantivo).
– O abaixo-assinado, os abaixo-assinados (advérbio + adjetivo).
– O guarda-noturno, os guardas-noturnos (guarda aqui é substantivo + adjetivo).
– A má-formação, as más-formações. (adjetivo + substantivo).

Como desdobramento dessa regra geral, temos:

Se a palavra for composta por verbo + substantivo, só o substantivo vai para o plural. 
– O/A caça-fantasma, os/as caça-fantasmas.
– O beija-flor, os beija-flores.
– Um cachorro vira-lata, uns cães vira-latas.

E se o composto verbo + substantivo já for plural, faz-se a flexão apenas com o artigo que o antecede.

Exemplo:
– o/a caça-dotes, os/as caça-dotes.
– o saca-rolhas, os saca-rolhas.

Nos casos de substantivo + substantivo, ambos vão para o plural quando se deduz que há autonomia de significado em cada um.

Para descobrir se esse é o caso, é só verificar se, na expressão, caberia a conjunção “e” ligando-os. 
Exemplos:
– A couve-flor, as couves-flores (essa verdura é couve, e é flor).
– O cirurgião-dentista, os cirurgiões-dentistas (eles são cirurgiões e também são dentistas). E também Cirurgiã-dentista, cirurgiãs-dentistas.
– Meia-calça, meias-calças (são ambas as coisas).
– Redator-chefe, redatores-chefes.

Nos casos de substantivo + substantivo em que há relação de subordinação – ou seja, o primeiro elemento é determinante do segundo – , só vai para o plural a primeira palavra. 
– Bomba-relógio, bombas-relógio.
– Palavra-chave, palavras-chave.

Os casos de substantivo + substantivo ligados por preposição se enquadram na mesma definição anterior, em que o primeiro elemento é determinante do segundo.
Portanto, nesses casos, apenas o primeiro elemento flexiona para o plural.

– Pé de moleque, pés de moleque.
– Água-de-colônia, águas-de-colônia.

Substantivos compostos com sufixos: apenas o substantivo vai para o plural
Acreditamos que você não erraria esses, mas não custa anotar.

– Cursinho semi-intensivo, cursinhos semi-intensivos.
– Recém-nascido, recém-nascidos;
– Recém-formado, recém-formados.
– A seu bel-prazer, a seus bel-prazeres.

Há mais casos? Sim, mas são as raríssimas exceções. Você se sairá bem usando o bom-senso.