• banner bolsa de estudo
  • banner aprovação medicina
  • banner aprovados unicamp
  • banner aprovados

Gramaticando

  • Compartilhar
  • Oficina do Estudante no Facebook
  • Oficina do Estudante no Twitter
  • Imprimir Imprimir

Verbos impessoais: Há muitas dúvidas sobre eles?

20 de Fevereiro de 2012

E aí, gente, tudo bom? O Gramaticando de hoje falará sobre os verbos impessoais, um tipo que pode causar muitos erros em relação a sua concordância.



Antes de tudo, o verbo impessoal é um verbo que não precisa de um sujeito. A grande maioria das construções do português apresentara sujeito e verbo, seja ele explícito ou oculto, como podemos ver respectivamente em “Eu amo gramática” e “Amo gramática”. Interessante notar que sujeito e verbo SEMPRE concordam mutuamente, o que faz com que possamos perceber qual é o sujeito da segunda frase (“Amo gramática”. Nosso sujeito seria “eu”, uma vez que o verbo amar está conjugado na primeira pessoa do singular).



Porém, alguns verbos não apresentarão sujeito. São os que chamamos de impessoais. Uma vez que não existe um sujeito, os verbos impessoais permanecem no singular (com uma exceção que será comentada). Podemos dividir esse tipo em cinco categorias:



Verbos que expressam fenômeno da natureza



“Choveu muito ontem”. Uma construção como essa não apresenta sujeito, uma vez que verbos que expressam fenômenos da natureza são impessoais, assim como nevar, ventar, trovejar ou fazer e estar indicando tempo (“faz muito calor” ou “está frio”)

ATENÇÃO: caso o verbo esteja sendo usado no sentido figurado, ele será pessoal, como em “Choveram críticas” – sujeito simples: críticas



Verbo Fazer ou Haver indicando tempo decorrido



“Faz dois meses que namoramos”, ou “há muitos anos nos conhecemos”. Nesses casos, os verbos fazer e haver estão indicando somente tempo, não havendo sujeito e, consequentemente, deixando os verbos no singular. Uma construção como “fazem três anos que me formei” estaria inadequada de acordo com a Norma Padrão da Língua Portuguesa.



Verbo Haver no sentido de Existir



“Houve dúvidas sobre verbos impessoais”. Quando o verbo haver é sinônimo de existir, ele se manterá impessoal e sempre aparecerá no SINGULAR. “Houveram dúvidas” seria uma construção inadequada.

ATENÇÃO, somente o verbo haver sinônimo de existir é impessoal. EXISTIR é um verbo PESSOAL e vai concordar com seu sujeito (Existe dúvida – Existem dúvidas).



Verbo Chegar ou Bastar no imperativo



Quando conjugados no modo imperativos, esses verbos serão sempre impessoais, como em “Chega de confusão”.



Verbo “ser” indicando hora ou distância



Nessas circunstâncias, o verbo ser será sempre impessoal. Porém, diferentemente dos outros casos, ele poderá aparecer no plural, dependendo da hora ou distância que o acompanhará. Portanto, frases como “É uma da tarde” ou “São duas da tarde” estão corretas. O mesmo vale para “A distância é um quilometro” ou “A distância são cinco quilômetros”.



Preste atenção também com as locuções verbais com esses verbos, uma vez que elas também devem permanecer no singular, como em “Vai fazer cinco anos que me mudei” ou “Certamente, vai haver pessoas comentando o assunto”.

Juntando as ocorrências acima em um parágrafo, poderíamos ter o seguinte exemplo:



“Faz 15 anos que o grupo de axé ‘É o tchan’ lançou o disco ‘Na cabeça e na cintura’. Em comemoração a data, vai haver várias apresentações especiais no Brasil todo. São duas horas de show com muitos sucessos. Agora, chega de conversa e corra para garantir o seu ingresso! Certamente, choverão pessoas atrás deles”.



Entenderam? Espero que não haja mais dúvidas sobre o assunto. Caso ainda existam, mande para cá que elas serão respondidas.

Obrigado pela atenção, um beijo no coração e até a próxima.



Ivan Perina, Professor de Língua Portuguesa, Graduando em Letras pela UNICAMP.





E aí, gente, tudo bom? O Gramaticando de hoje falará sobre os verbos impessoais, um tipo que pode causar muitos erros em relação a sua concordância.



Antes de tudo, o verbo impessoal é um verbo que não precisa de um sujeito. A grande maioria das construções do português apresentara sujeito e verbo, seja ele explícito ou oculto, como podemos ver respectivamente em “Eu amo gramática” e “Amo gramática”. Interessante notar que sujeito e verbo SEMPRE concordam mutuamente, o que faz com que possamos perceber qual é o sujeito da segunda frase (“Amo gramática”. Nosso sujeito seria “eu”, uma vez que o verbo amar está conjugado na primeira pessoa do singular).



Porém, alguns verbos não apresentarão sujeito. São os que chamamos de impessoais. Uma vez que não existe um sujeito, os verbos impessoais permanecem no singular (com uma exceção que será comentada). Podemos dividir esse tipo em cinco categorias:



Verbos que expressam fenômeno da natureza



“Choveu muito ontem”. Uma construção como essa não apresenta sujeito, uma vez que verbos que expressam fenômenos da natureza são impessoais, assim como nevar, ventar, trovejar ou fazer e estar indicando tempo (“faz muito calor” ou “está frio”)

ATENÇÃO: caso o verbo esteja sendo usado no sentido figurado, ele será pessoal, como em “Choveram críticas” – sujeito simples: críticas



Verbo Fazer ou Haver indicando tempo decorrido



“Faz dois meses que namoramos”, ou “há muitos anos nos conhecemos”. Nesses casos, os verbos fazer e haver estão indicando somente tempo, não havendo sujeito e, consequentemente, deixando os verbos no singular. Uma construção como “fazem três anos que me formei” estaria inadequada de acordo com a Norma Padrão da Língua Portuguesa.



Verbo Haver no sentido de Existir



“Houve dúvidas sobre verbos impessoais”. Quando o verbo haver é sinônimo de existir, ele se manterá impessoal e sempre aparecerá no SINGULAR. “Houveram dúvidas” seria uma construção inadequada.

ATENÇÃO, somente o verbo haver sinônimo de existir é impessoal. EXISTIR é um verbo PESSOAL e vai concordar com seu sujeito (Existe dúvida – Existem dúvidas).



Verbo Chegar ou Bastar no imperativo



Quando conjugados no modo imperativos, esses verbos serão sempre impessoais, como em “Chega de confusão”.



Verbo “ser” indicando hora ou distância



Nessas circunstâncias, o verbo ser será sempre impessoal. Porém, diferentemente dos outros casos, ele poderá aparecer no plural, dependendo da hora ou distância que o acompanhará. Portanto, frases como “É uma da tarde” ou “São duas da tarde” estão corretas. O mesmo vale para “A distância é um quilometro” ou “A distância são cinco quilômetros”.



Preste atenção também com as locuções verbais com esses verbos, uma vez que elas também devem permanecer no singular, como em “Vai fazer cinco anos que me mudei” ou “Certamente, vai haver pessoas comentando o assunto”.

Juntando as ocorrências acima em um parágrafo, poderíamos ter o seguinte exemplo:



“Faz 15 anos que o grupo de axé ‘É o tchan’ lançou o disco ‘Na cabeça e na cintura’. Em comemoração a data, vai haver várias apresentações especiais no Brasil todo. São duas horas de show com muitos sucessos. Agora, chega de conversa e corra para garantir o seu ingresso! Certamente, choverão pessoas atrás deles”.



Entenderam? Espero que não haja mais dúvidas sobre o assunto. Caso ainda existam, mande para cá que elas serão respondidas.

Obrigado pela atenção, um beijo no coração e até a próxima.



Ivan Perina, Professor de Língua Portuguesa, Graduando em Letras pela UNICAMP.





Conheça outras atividades

Saiba Mais