• banner bolsa de estudo
  • banner aprovação medicina
  • banner aprovados unicamp
  • banner aprovados

Atualidades

  • Compartilhar
  • Oficina do Estudante no Facebook
  • Oficina do Estudante no Twitter
  • Imprimir Imprimir

Carne Fraca: 31 países adotam restrições à carne brasileira

27 de Março de 2017

Mesmo com a reabertura dos mercados da China, Chile e Egito à carne brasileira, atualmente chega a 31 o número de mercados que adotaram algum tipo de restrição ao produto nacional ou solicitaram informações adicionais ao país após a Operação Carne Fraca, da Polícia Federal. Nesta semana, entraram para lista Peru, que fez a suspensão temporária de dois frigoríficos, além do Bahrein, Marrocos, Zimbábue, Santa Lúcia e Irã.

A lista mostra que dez mercados decidiram suspender as compras apenas das unidades frigoríficas investigadas na Operação Carne Fraca da Polícia Federal e que outros 14 mercados mantêm algum tipo de suspensão ao produto nacional.

Relaciona, ainda, outro mercados que reforçaram o controle pelas autoridades sanitárias (aqui entram os Estados Unidos) e mais um que enviou pedido de informação ao Brasil (Irã). Veja abaixo a relação atualizada):

REABERTOS

China: reaberto em 25/março; um frigorífico suspenso; registro de 7 veterinários brasileiros cancelados.

Chile: reaberto em 25/março; 21 frigoríficos envolvidos permanecem sob suspensão temporária.

Egito: reaberto em 25/março 21 frigoríficos envolvidos permanecem sob suspensão temporária.

Coreia do Sul: reaberto em 21/março; aumento de amostras inspecionadas.

MERCADOS QUE SUSPENDERAM APENAS FRIGORÍFICOS INVESTIGADOS

Japão: suspensão temporária de 21 frigoríficos envolvidos.

África do Sul: suspensão temporária e pedido de informações de 6 frigoríficos exportadores.

União Europeia: suspensão temporária, intensificação de controles sanitários (100% das exportações brasileiras de produtos agrícolas) e pedido de informações detalhadas sobre 21 frigoríficos (decisão mantida em 24/3).

Suíça: suspensão temporária e pedido de informações detalhadas sobre 21 frigoríficos (segue UE).

Arábia Saudita: suspensão temporária e pedido de informações de 4 frigoríficos envolvidos (530, 1010, 270 e 2156).

Canadá: suspensão temporária de 2 frigoríficos envolvidos.

Emirados Árabe: suspensão temporária de 6 frigoríficos exportadores.

Vietnã: suspensão temporária de 21 frigoríficos envolvidos.

Peru: suspensão temporária de 2 frigoríficos e suspensão por 180 dias de novos pedidos de habilitação.

Bahrein: suspensão temporária de 4 frigoríficos envolvidos (segue Arábia Saudita).

BARREIRAS APLICADAS PARA ALÉM DOS 21 FRIGORÍFICOS SUSPENSOS PELO MAPA

Hong Kong: suspensão temporária e recall no mercado de produtos provenientes dos 21 frigoríficos envolvidos de produtos cárneos.

Argélia: suspensão temporária de produtos cárneos.

Jamaica: suspensão temporária com recall de produtos no mercado interno de carne processada.

Trinidad e Tobago: suspensão temporária com recall de produtos no mercado interno de carne processada.

Panamá: suspensão temporária de carne processada.

Catar: paralisação de desembaraço aduaneiro até validação de testes por amostragem de produtos cárneos.

México: suspensão preventiva de produtos cárneos (Brasil exporta apenas frango).

Bahamas: suspensão temporária de produtos cárneos.

São Vicente e Granadinas: suspensão temporária com recall de produtos no mercado interno de produtos cárneos.

Granada: Recall no mercado interno de carne processada.

São Cristovão e Névis: suspensão temporária e recall de produtos no mercado interno de carne processada.

Marrocos: suspensão temporária de produtos cárneos.

Zimbábue: suspensão temporária de produtos cárneos.

Santa Lúcia: suspensão temporária e recall de produtos no mercado interno de carne processada.

REFORÇO DO CONTROLE PELAS AUTORIDADES SANITÁRIAS

Estados Unidos: aumento para 100% das amostras inspecionadas de produtos cárneos.
Malásia: elevação dos controles sanitários para nível 5 de produtos cárneos.
Argentina: reforço dos controles sanitários de produtos cárneos.

PEDIDOS DE INFORMAÇÃO

Israel: pedido de informação sobre unidades exportadoras de produtos cárneos.

Barbados: pedido de informação sobre exportações provenientes dos frigoríficos envolvidos de carne processada.

Rússia: pedido de informações sobre frigoríficos específicos de produtos cárneos.

Irã: pedido de informações sobre produtos cárneos.

Fonte: veja.com e Estadão Conteúdo

Mesmo com a reabertura dos mercados da China, Chile e Egito à carne brasileira, atualmente chega a 31 o número de mercados que adotaram algum tipo de restrição ao produto nacional ou solicitaram informações adicionais ao país após a Operação Carne Fraca, da Polícia Federal. Nesta semana, entraram para lista Peru, que fez a suspensão temporária de dois frigoríficos, além do Bahrein, Marrocos, Zimbábue, Santa Lúcia e Irã.

A lista mostra que dez mercados decidiram suspender as compras apenas das unidades frigoríficas investigadas na Operação Carne Fraca da Polícia Federal e que outros 14 mercados mantêm algum tipo de suspensão ao produto nacional.

Relaciona, ainda, outro mercados que reforçaram o controle pelas autoridades sanitárias (aqui entram os Estados Unidos) e mais um que enviou pedido de informação ao Brasil (Irã). Veja abaixo a relação atualizada):

REABERTOS

China: reaberto em 25/março; um frigorífico suspenso; registro de 7 veterinários brasileiros cancelados.

Chile: reaberto em 25/março; 21 frigoríficos envolvidos permanecem sob suspensão temporária.

Egito: reaberto em 25/março 21 frigoríficos envolvidos permanecem sob suspensão temporária.

Coreia do Sul: reaberto em 21/março; aumento de amostras inspecionadas.

MERCADOS QUE SUSPENDERAM APENAS FRIGORÍFICOS INVESTIGADOS

Japão: suspensão temporária de 21 frigoríficos envolvidos.

África do Sul: suspensão temporária e pedido de informações de 6 frigoríficos exportadores.

União Europeia: suspensão temporária, intensificação de controles sanitários (100% das exportações brasileiras de produtos agrícolas) e pedido de informações detalhadas sobre 21 frigoríficos (decisão mantida em 24/3).

Suíça: suspensão temporária e pedido de informações detalhadas sobre 21 frigoríficos (segue UE).

Arábia Saudita: suspensão temporária e pedido de informações de 4 frigoríficos envolvidos (530, 1010, 270 e 2156).

Canadá: suspensão temporária de 2 frigoríficos envolvidos.

Emirados Árabe: suspensão temporária de 6 frigoríficos exportadores.

Vietnã: suspensão temporária de 21 frigoríficos envolvidos.

Peru: suspensão temporária de 2 frigoríficos e suspensão por 180 dias de novos pedidos de habilitação.

Bahrein: suspensão temporária de 4 frigoríficos envolvidos (segue Arábia Saudita).

BARREIRAS APLICADAS PARA ALÉM DOS 21 FRIGORÍFICOS SUSPENSOS PELO MAPA

Hong Kong: suspensão temporária e recall no mercado de produtos provenientes dos 21 frigoríficos envolvidos de produtos cárneos.

Argélia: suspensão temporária de produtos cárneos.

Jamaica: suspensão temporária com recall de produtos no mercado interno de carne processada.

Trinidad e Tobago: suspensão temporária com recall de produtos no mercado interno de carne processada.

Panamá: suspensão temporária de carne processada.

Catar: paralisação de desembaraço aduaneiro até validação de testes por amostragem de produtos cárneos.

México: suspensão preventiva de produtos cárneos (Brasil exporta apenas frango).

Bahamas: suspensão temporária de produtos cárneos.

São Vicente e Granadinas: suspensão temporária com recall de produtos no mercado interno de produtos cárneos.

Granada: Recall no mercado interno de carne processada.

São Cristovão e Névis: suspensão temporária e recall de produtos no mercado interno de carne processada.

Marrocos: suspensão temporária de produtos cárneos.

Zimbábue: suspensão temporária de produtos cárneos.

Santa Lúcia: suspensão temporária e recall de produtos no mercado interno de carne processada.

REFORÇO DO CONTROLE PELAS AUTORIDADES SANITÁRIAS

Estados Unidos: aumento para 100% das amostras inspecionadas de produtos cárneos.
Malásia: elevação dos controles sanitários para nível 5 de produtos cárneos.
Argentina: reforço dos controles sanitários de produtos cárneos.

PEDIDOS DE INFORMAÇÃO

Israel: pedido de informação sobre unidades exportadoras de produtos cárneos.

Barbados: pedido de informação sobre exportações provenientes dos frigoríficos envolvidos de carne processada.

Rússia: pedido de informações sobre frigoríficos específicos de produtos cárneos.

Irã: pedido de informações sobre produtos cárneos.

Fonte: veja.com e Estadão Conteúdo